13 de ago de 2009

É cada uma!!!!


Todo torcedor adora provocar os rivais...
Um dia desses, em um restaurante self- service, essa forca, exibida na prateleira do dono do estabelecimento, chamou a atenção... criativo, não?

1 de ago de 2009

Além da pauta das férias

Praia, mar, sol (chuvinha também), água de coco e moqueca de camarão!
De férias, na Bahia...
é claro que eu me afastaria um pouco do noticiário esportivo. Desacanso merecido! Mas fechar os olhos para o futebol jamais!!!
Algumas cenas chamaram a minha atenção durante a minha viagem pelas ladeiras e praias de Salvador...


Fim de tarde em pleno pôr do sol. Ou no calor rasgante de meio dia! Pro baiano não tem tempo ruim! Toda hora é hora de bater uma peladinha na beira mar com os amigos.


Nas ruelas do centro histórico também tem futebol. Em pleno Terreiro de Jesus, em frente à famosa igreja São Francisco de Assis (de 1720), um garoto jogava bola tranquilo, como se estivesse em um campinho. Nem se incomodava com o movimento dos turistas que andavam por ali.

Passeando pelas 263 lojas do Mercado Modelo (que oferece a maior variedade de artesanato, presentes e lembranças da Bahia), encontram-se também artigos esportivos.

Mas não só peças do Bahia e do Vitória! Atlético e Cruzeiro também têm vez nas prateleiras!


Na saída do Mercado uma cena curiosa. O companheirismo entre o dono do bar, torcedor do Vitória, e o frequentador, adepto da torcida do Bahia. "Aqui é tudo igual", disseram.

Alguns metros dali, no bar concorrente, outro comerciante trabalhava com a camisa do clube do coração, servindo um torcedor especial - um dos responsáveis pela torcida organizada "Povão".

Ambos com ingressos garantidos para a partida de logo mais, contra o Vasco, pela série B do Brasileirão, concentrados para apoiar o time na luta para subir para a primeira divisão. Segundo eles, a solução é "pedir para o Senhor do Bonfim clarear o caminho".

Mas o futebol não é o único jogo presente no dia a dia do baiano... Um outro, praticado com as mãos, também é muito comum nas praças e na beira do mar: o DOMINÓ! Só que pra jogar, tem que apostar! Dinheiro, peixe, ou até Lulas frescas, como faziam estes pescadores.

17 de jul de 2009





A cidade estava azul... colorida por bandeiras, que eram vendidas em tudo quanto é sinal. Torcedores empolgados e ansiosos buzinavam pelas ruas. A contagiante alegria dos cruzeirenses estava no ar...
No dia seguinte, uma cidade sem cor. Triste. Nada de festa. O único som que se ouvia era o dos gritos dos atleticanos, que comemoravam a decepção do time rival.
As piadinhas sobre a derrota do Cruzeiro para o Estudiantes se espalharam. Mas uma frase no MSN de um amigo me chamou a atenção.
"TRISTE NÃO É VER O SONHO ACABAR. TRISTE É NÃO SONHAR."
Esse é o espírito do esporte, não é?

15 de jul de 2009

Futebol dá nisso...


E eu que pensava que DM (departamento médico) era coisa de atleta profissional. Que nada! Cá estou eu, amadoríssima, fazendo fisioterapia todo santo dia! Tudo por causa de uma pelada de 3 horas!!! Abusei, né...

Meus companheiros de consultório são de todos os tipos. Acidentados, sedentários, tenistas de fim de semana (aqueles que vão pra quadra após se aquecerem tomando uma cervejinha) e até crianças. Todos sofrem com os exercícios puxados, mas se divertem com o bate papo. A idéia é essa: fazer do ambiente de recuperação um lugar agradável. Se o tratamento é demorado, só mesmo dando boas risadas pra não ficar ansioso!

Imagine só os jogadores profissionais que se machucam e ficam de fora das grandes decisões, como a final da Libertadores desta noite. Como será que, por exemplo, o atacante Soares (que há meses se recupera de uma fratura no tornozelo) deve estar se sentindo... Pensando nele fica fácil eu ter paciência pra sarar. A minha pelada pode esperar...
Voltando um pouco no tempo, lembro quando comecei a jogar bola. Eu devia ter uns 11 anos quando cheguei em casa com os joelhos roxos pela primeira vez. Meus pais horrorizaram! Tentaram me convencer a trocar de esporte de todo o jeito. "Quem sabe uma natação, filhinha", "Você vai ficar com corpo de homem...", "Achava tão bonito quando você dançava balé!". Esses foram alguns dos dizerem que ouvi pelo ouvido direito e deixei escapolir pelo direito.
Depois de um tempo eles se acostumaram e começaram a gostar dos meus jogos. Assistiam a todos e torciam muito nos meus campeonatos. Mas toda vez que eu me contundia, era a mesma estória... "Você vai ficar com a perna toda marcada, em! Depois não vai conseguir usar saia".

De volta ao presente. Nem a minha coleção de cicatrizes na canela e no joelho, nem a minha inflamação na tíbia, que estou tratando, me fazem titubear. Jogar bola, pra mim, é um dos maiores prazeres da vida. É quando eu esqueço de tudo e de todos. É quando eu apenas sigo e observo a bola, fazendo ela girar. É um estado de espírito difícil de descrever. Mas, definitivamente, me faz bem.

Agora preciso ir... meu fisioterapeuta João Paulo me aguarda, com muitos pesos, uma mini cama elástica, algum gelo, cordas, elásticos e, é claro, uma bola (ainda que de plástico).

10 de jul de 2009

Senhores do Galo



Essa fila impressiona.
Os torcedores do atlético maiores de 65 anos de idade fizeram até volume nas bilheteria da Sede do Clube, ontem.
Prova de que o amor ao futebol não tem idade!
E de que muitos acreditam que o clássico de domingo será pacífico!

Dia de sorte...




O entrevistado atrasou para a gravação e nos deixou esperando... na Lagoa da pampulha! Tem atraso melhor? Sol das 10 da manhã, aguinha de coco, visual lindo e uma equipe alto astral! Por isso que eu sempre digo: tudo na vida tem um lado bom..

guerreiros!!!



Imagine só... Encarar o aeroporto de Confins, às 5 horas da manhã, no frio e de virote!! Realmente, não é pra qualquer um!
Mas quando o time está na final da Libertadores, vale tudo! 50 torcedores bêbados e alegres passaram a madrugada esperando a delegação do Cruzeiro, que voltava da Argentina após o a partida contra o Estudiantes.

Só que o "Leitão", da foto abaixo, não aguentou acompanhar o rítimo dos colegas... Arrumou logo um cantinho, se encobriu com a bandeira do time e dormiu. É claro que ninguém deixava ele em paz...

Perguntei para um dos torcedores: "não tem medo de pegar a gripe suína?" e ele respondeu em côro com os amigos: "gripesuínaésócaôôô!... gripesuínaésócaôôô!... ôôô!"

25 de jun de 2009

Cruzeiro Pavaroti Grêmio


O Luigi estava preparando um de seus drinks especiais... Dono do bar aonde eu assisti à partida entre Cruzeiro e Grêmio, ele espremia devagar as bisnasgas e despejava cada um dos licores exóticos no copo.
O nome do drink era PAVAROTI porque, segundo o autor da receita, servia para limpar a garganta e poder gritar "Goooooool" à vontade!!!

22 de jun de 2009

Por amor ao futebol


Ele largou tudo: casa, mar, bicicleta, família, escola, vizinhos, rua, país!!!
O gringo, Patrick Breheny, de 16 anos, trocou Sidney, na Austrália, pela Toca da raposa em BH. Por que? Por amor ao futebol...

O meia atacante, que sonha em se tornar um jogador profissional e atuar em algum clube inglês, vive no centro de treinamento do Cruzeiro há 2 meses. Lá ele treina, dorme (no hotel), vive.

Se ele sente falta de casa? Nenhuma! E diz que só volta para o país de origem para breves visitas.. Lá, a liga nacional de futebol existe há apenas 5 anos! Pra se ter uma idéia, o futebol feminino é mais antigo e tem mais tradição do que o masculino.

No Brasil, o loirinho branquelo de olhos azuis se sente à vontade. O espanhol fluente (que herdou da mãe, chilena), o ajuda a fazer amizades e a entender os dizeres do treinador.

Gente boa o menino! Bem vindo, gringo!!